1.07.2009

segundo o dicionário emocional ainda a ser criado




amor
.substantivo comum aos dois gêneros.
.derivação: por extensão múltipla dos sentidos.
.uso: formal/informal.
.pode ser flexionado em todos os gêneros, números e graus. (incluindo as escalas infinitas e absurdas)

o amor é uma exploração sintomática da primeira pessoa em relação a uma segunda, que em geral, não tem nada a ver com a primeira, mas que por força de um movimento anormal da pulsação cardíaca, da alteração involuntária do controle emocional, da respiração engasgada, da disritmia entre paciência e impaciência, do movimento ciclotímico do humor (que tende a ser muito bom em presença e muito ruim sem a presença da segunda pessoa), provocam o desejo para-inconsciente de aproximação recíproca e dedicada entre duas bocas, dois corpos e dois corações (com tendência bruta para fusão).

consultar futura página 1, seção 1, parágrafo inteiro

(imagem de gustave klimt: "o beijo" (detalhe), 1907/08)

Um comentário:

danpiantino disse...

um dicionário emocional, esse é um daqueles desafios capazes de se transformarem em um blog a parte. cada palavra é um universo de expressões e (in)definições. como um dicionário desses ainda não foi escrito? são tantos sentimentos que não sabemos dizer o que são, só sentir. mas é essa aproximação das palavras com o corpo-sentimento o mais interessante.
só mesmo escritores invisíveis seriam capazes de se jogarem no desafio de escrever sobre sentimentos, seria essa uma proposta para o blog?
"COMUNICADO: a invisibilidade andou eliminando algum dos escritores invisíveis, aqueles que sobraram irão discutir sobre o futuro desse blog".